quarta-feira, 14 de abril de 2010










Resumo:


Inglaterra, 1815 Como dizer "eu te amo?"



...Ao fazer o pedido de casamento Charles Draysmith foi tão romântico quanto um juiz dando uma sentença. Tudo bem que Emma Peterson é apenas a filha do vigário, e ele o novo marquês de Knightsdale, e talvez prefira se casar com ela do que enfrentar a horda de moças solteiras e suas mães casamenteiras... Mas quando ele sugere que está tão somente interessado no ato de "encomendar" um herdeiro... Ah, isso já é demais para uma dama de verdade...Deve haver algo de estranho com uma mulher que atira um bibelô em um homem que demonstra seus interesses. Talvez o modo como Charles fez o pedido não tenha sido dos mais românticos, mas parecia a solução perfeita. Ele conseguiria uma esposa, Emma conquistaria uma posição na sociedade... Tudo muito simples e prático. Só que as coisas não tão simples como parecem... pois para convencer Emma a se casar, Charles terá de fazer algo muito difícil: confessar que está perdidamente apaixonado...







obs: Cem palavras amei o livro e fiquei muito curiosa para ler os outro.

A autora me surpriendeu o livro é otimo eu rir e me encantei o marquês é tudo de bom muito sensual a mocinha é uma mistura de sensualidade e timidez e as sobrinhas dele e a tia é de chorar de rir. Fora algumas cenas bem sensual.

muito recomendado












Um comentário:

  1. Esse livro está me lembrando um pouco a Rosa do Inverno, já leu? Muito bacana!

    Abços!

    ResponderExcluir